terça-feira, 27 de junho de 2017

Vigilância Deseletrônica

Sei que já falei coisa parecida por aqui, mas achei necessário refletir um pouco mais sobre isso.
Perdi as contas das vezes em que abro as redes sociais e vejo pessoas reclamando dos chamados pardais que registram velocidade acima da permitida ou manobra proibida. Ultimamente, inclusive, lançaram uma nova moda de vídeo-monitoramento para multar as pessoas dentro do carro sem precisar do agente de trânsito perto do ocorrido. Falta de cinto, falar ao celular, falta de cadeirinha infantil são algumas das infrações captadas e punidas. Nos pardais as reclamações ficam por conta da falta do aviso de placas informando que ele existe proximamente, porque estão escondidos ou até mesmo porque não deveriam estar naquele local da via.
Dito isto, fico me perguntando: Se em uma via que a velocidade máxima permitida é 60 km por exemplo, precisa-se avisar que tem um ´´fiscal`` próximo para que você reduza a velocidade? A Via tem a mesma velocidade por uma certa extensão e não somente em frente aos pardais. Não seria obrigatório que por toda a via você andasse até essa velocidade máxima? Por que andar sempre acima dessa velocidade permitida e só reduzir quando tiver perto de um pardal? Caso você esteja numa velocidade acima da máxima permitida a 30 metros do pardal, você também está infringindo a norma.
Não estou aqui defendendo os governantes que se aproveitam da indústria da multa para arrecadar aos cofres governamentais. Mas entendo que as pessoas, inclusive eu, devem parar de só obedecer a lei quando estão sendo fiscalizadas. Ficamos surpresos e chateados quando somos pegos infringindo uma lei e consequentemente sendo punidos. Achamos abusivo e que não deveria ser dessa forma.
É quando estamos sozinhos e sem ninguém a nos fiscalizar que temos que andar corretamente. Não é porque alguém nos observa que temos que andar na linha. Jogar papel no chão, furar fila sem que percebam, fingir a idade para ser prioridade. Pode até nenhum humano não estar vendo. Porém, existe um olho que tudo vê. É por essa razão que aqui escrevo. Temos que ser a mesma pessoa em qualquer lugar e em qualquer situação. Nossas atitudes não dependem de governo, fiscais, igrejas, amigos, família. Educação e caráter se tem em qualquer lugar.
A Palavra nos ensina como temos que nos portar nas diversas situações e é baseados Nela que precisamos caminhar. Estarmos aprofundados na Palavra faz com que nossas atitudes sejam melhores e paremos de agir incorretamente.
Precisamos dar um basta no jeitinho brasileiro (no sentido pejorativo) e começarmos a seguir as regras e normas. Em casa e nas ruas seguir as normas e leis vigentes. Na vida como um todo seguir a Palavra de Deus e obedece-la piamente.

Assim sendo, estaremos respeitando as pessoas, a si próprio e a Deus.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Arrependido ou Remorso?

Todo dia somos pegos cometendo alguns erros nas nossas vidas. Muitos deles tem trazido consequências graves com o decorrer do tempo. Mas por que, sabedores que somos dos danos possíveis, cometemos esses erros?
O Rei Davi é um exemplo perfeito para que possamos entender melhor. Davi, ungido rei muito novo e mesmo depois de ter matado urso, leão e o gigante Golias, um homem segundo o coração de Deus, teve o ´´privilégio`` de cometer todos os erros possíveis na sua vida.
Somente para exemplificar rapidamente podemos citar o adultério com Bate Seba,  o envio ao fronte da guerra do marido dela para que ele morresse, a não sentença de morte do seu filho conforme a lei vigente.
Graves consequências decorreram desses atos de Davi. Mas sendo Davi quem era, por que Deus permitiu tudo isso? Depois do Dom da Vida, Deus nos deu o maior presente de todos: O Livre Arbítrio.
Por isso Davi cometeu os pecados que cometeu. Mas uma diferença se faz presente na vida de Davi, uma característica que devemos buscar. Ao ser exortado ou caindo em si do pecado que cometeu, Davi sempre caia por terra em profundo arrependimento e não em remorso.
Preciso aqui definir com clareza o que é arrependimento e o que é remorso: ´´A palavra arrependimento é de origem grega e significa conversão, mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitudes, temperamentos, caráter, trabalho, geralmente conotando uma evolução. Então arrependimento quer dizer mudança de atitude, ou seja, atitude contrária, ou oposta, àquela tomada anteriormente em determinado assunto específico. Diferentemente do remorso, em que a pessoa que o sofre não se sensibilizou verdadeiramente do mal que possa haver causado a outros, e que, pensando apenas no próprio bem, é capaz até de infligir a si mesmo algum tipo de castigo apenas para tentar se esquivar de sofrer uma punição ainda mais severa por causa do erro que cometeu, o arrependido verdadeiramente percebe e se sensibiliza das consequências ruins que seus atos causaram para outras pessoas`` (Wikipédia).
Errar todos nós iremos, a cada momento. Uns mais, outros menos. Alguns erros mais graves, outros menores. Mas, não estamos livres dos erros. Porém recomendo aqui nos avaliar a todo instante e nos arrependermos profundamente pelo que fazemos de errado. Não cometendo assim o mesmo erro novamente.
Da mesma forma que Deus nos deu Livre Arbítrio para fazermos o que quiser, o mesmo Livre Arbítrio nos dá a oportunidade de escolher o caminho certo que fará com que cometamos menos erros. Juntos Dele e de Sua Palavra, estaremos mais embasados para trilhar o caminho da verdade e da luz, nos tornando pessoas melhores e menos factíveis a erros.



segunda-feira, 12 de junho de 2017

Pra onde você vai?

Tive a oportunidade de uns dias atrás assistir uma mini pregação que me chamou muita atenção. Dentre algumas boas frases ditas naquele momento, colhi uma que fiquei ruminando por um bom tempo: ´´Não Importa de Onde Você Vem, E Sim Para Onde Você Vai``.
Depois de ouvir este pensamento comecei a voltar um pouco no tempo para saber onde isso se encaixava na minha vida e na vida das pessoas que convivem comigo e até mesmo para aquelas que procuram conselhos.
Quando separo o texto em pequenas partes observo primeiramente a parte que diz ´´de onde você vem``. Jesus de Nazaré também ouviu isso de uma forma depreciativa em João 1:46
´´ Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Respondeu-lhe Filipe: Vem, e vê``.
Realmente podemos dizer com certeza que o passado é passado. Sei que tudo que foi feito lá atrás gerou consequências em nossas vidas e hoje colhemos exatamente o que foi plantado, voluntária ou até involuntariamente.
Onde eu nasci, de quem sou filho, o que fiz de errado não podem definir meu caráter e minha personalidade. Os dois primeiros exemplos são involuntários, mas jamais podem nos impedir de termos uma mudança de rumo. Já o terceiro exemplo foi realizado por nossas próprias mãos e os erros cometidos servem também de base para construirmos o caminho do nosso futuro.
Precisamos saber onde queremos chegar, mas antes precisamos saber onde e como estamos. Se estamos em lugares que não nos levarão a lugar algum, precisamos sair deste local. Podemos estar em lugares inapropriados, mas a vontade de sair deste local e termos uma nova vida só depende nós.
Vejo pessoas que nasceram ou viveram nas piores condições possíveis e hoje são exemplos de que vencer na vida é possível, independente de onde você venha. Da mesma forma, vi várias pessoas que nasceram em berço de ouro, rodeadas de excelentes oportunidades e não conseguiram construir absolutamente nada.
Portanto o que realmente importa é para onde eu vou. Preciso saber exatamente onde quero ir para daí saber como chegar lá. Não sei onde você quer ir, mas afirmo que o que realmente importa é que você queira ir e deseje fazer dessa motivação sua escalada.

Mas saiba escolher, não queira o que é dos outros só porque eles estão lá.  Estude, planeje, escolha um lugar firme como a rocha, escolha Aquele que fincará raízes profunda na sua vida. Esse lugar te trará mudanças substanciais no teu EU. Só há um caminho. Escolha sabiamente.