quarta-feira, 19 de abril de 2017

Deus é Pai...???!!!

Ouço constantemente essa máxima dizendo que Deus é pai. Normalmente ela é empregada quando a pessoa consegue algo que queria muito ou quando resolve algum problema grande.
Partindo do princípio que você acredita que Deus é pai, e aqui deixo claro que eu acredito piamente que isso é verdade, alguns questionamentos me vêm em mente.
Se Deus é pai temos que tratá-Lo como pai. Desta forma, assim como nós obedecemos nosso pai biológico, também temos que obedecer a Deus. Não temos que questionar se Deus está certo, se está errado, se está fazendo o que queremos ou não. Sendo Deus pai, Ele sempre fará o melhor para gente e não necessariamente esse melhor é o que queremos. Não cabe a nós questiona-Lo. Conversar? Sim, sempre. Mas independente dos nossos desejos, a obediência no que Ele diz tem que existir. Lembrando sempre que Deus é pai e a última palavra é Dele. Livre arbítrio? Sim, eu creio. Mas as consequências das nossas escolhas serão plantadas e depois colhidas.
Entendendo que Deus é pai, começamos a entender que Ele sempre irá querer o melhor para nós. Se Deus quer algo pra gente, ou não quer, ou até mesmo evita-nos de algo, temos que dar graças, mesmo sem entender no momento os porquês. Partindo disso o melhor para mim e para você não é necessariamente o melhor que achamos que devemos ter, ser ou fazer. Se formar? Se casar? Constituir um ministério? Deus dirá se tem que fazer e quando fazer.
Como Deus é pai, acreditamos que a grande maioria dos pais habitam no mesmo lar que os filhos. Já que o pai habita no mesmo lar que o filho segue a lógica que existe intimidade entre ambos, pelo menos deveria ser assim. Quando o pai fala, entende-se que o filho reconhece sua voz, entonação e o que quer dizer com o que está falando. Em outros tempos, bastava os pais lançarem um olhar que os filhos já entendiam o que eles queriam dizer com aquela feição. E assim todos nós obedecíamos. Caso contrário, lá vinham os castigos. Assim também é com nosso pai Deus, ou obedecemos ou ficamos de castigo e sofremos as consequências. Não necessariamente precisamos ficar no canto da sala de costas e com o joelho no milho. Mas Deus é sábio e inteligente para nos aplicar o castigo claro para que aprendamos a obedecer em todas as ocasiões.
Quando éramos pequenos por volta dos 3, 4 anos nossos pais nos colocavam nos parapeitos das janelas e pediam para que pulássemos em seus braços. De olhos fechados pulávamos porque confiávamos em nosso pais e em tudo que eles nos mandavam fazer. Com o tempo fomos perdendo essa confiança no pai e começando a confiar em si próprio e nos nossos conhecimentos e intuições. Da mesma forma acontece com Deus. Por que não nos atiramos nos braços Dele e assim colocamos todas as decisões de nossa vida nas mão Dele? Lembrando que Ele sempre irá querer o melhor para nós.

Entregue-se e obedeça ao verdadeiro Pai.